Peru procura mais vítimas de terremoto em hotel de Pisco

Equipes de resgate buscavam nestaterça-feira, entre os escombros de um hotel em Pisco, maisvítimas do forte terremoto que atingiu o Peru na semana passadae deixou mais de 500 mortos. Na praça principal de Pisco, local mais atingido pelotremor, um caminhão frigorífico permanecia estacionado parareceber mais cadáveres, enquanto bombeiros demoliam a cúpula daigreja San Clemente, onde morreram mais de 140 pessoas queparticipavam de uma missa. Segundo moradores de Pisco, várias pessoas estavam nohotel Embassy, localizado perto da praça principal da cidade,durante o terremoto. Um dos quatro andares do prédio foitotalmente destruído. Dados oficiais mais recentes do Instituto Nacional deDefesa Civil (Indeci) mostram que o terremoto da quarta-feirapassada provocou a morte de 503 pessoas, mas na praça de Piscoainda há uma lista com nomes de pessoas desaparecidas. O forte tremor também causou a destruição de 35.000 casasem cinco regiões do país, incluindo a capital peruana. Autoridades determinaram que o lixo e escombros retiradosde Pisco fossem colocado na estrada da cidade para evitarepidemias, mas tal decisão levou dezenas de pessoas ao localpara tentar resgatar algo útil no meio dos escombros. Dezenas de moradores de Pisco abandonaram nesta terça-feiraa cidade, como milhares de outras pessoas já tinham feito issonos últimos dias. (Por Mariana Bazo e Enrique Castro-Mendívil)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.