Peru recaptura um terço de detentos que fugiram após tremor

Detentos escaparam na semana passada do presídio de Tambo de Mora, na cidade de Chincha

REUTERS

24 de agosto de 2007 | 12h50

Mais de um terço dos 631 presos que fugiram de um presídio durante o recente terremoto ocorrido no Peru foi recapturado ou entregou-se voluntariamente às autoridades, afirmou nesta sexta-feira, 24, o Instituto Nacional Penitenciário (Inpe).  Veja Também Agências da ONU se concentram na reconstrução peruano Assessor do papa chega ao Peru com promessa de ajudaOs detentos escaparam na semana passada do presídio de Tambo de Mora, na cidade de Chincha (sul de Lima), atingida por um terremoto de magnitude 8, responsável por provocar a morte de centenas de pessoas e a destruição de milhares de moradias."De diversas formas (recaptura ou entrega voluntária), conseguimos encontrar 242 dos que fugiriam (220 homens e 22 mulheres)", afirmou o Inpe na quinta-feira à noite, por meio de um comunicado.O instituto explicou que 216 detentos foram transferidos para Cañete, também ao sul de Lima, 15 para região de Ica (sul do país) e seis para a capital peruana. Cinco continuam em Chincha à espera de uma transferência."Nenhum dos detentos apresenta problemas de saúde", afirmou o Inpe.Segundo o instituto, 631 presos, entre os quais 46 mulheres, fugiram do presídio de Tambo de Mora logo depois de esse ter ruído em virtude do terremoto."O fenômeno natural provocou o afundamento da infra-estrutura do presídio de Chincha em cerca de 1,3 metro, assim como a derrubada de uma parte do muro periférico de segurança. Isso permitiu que os detentos fugissem em massa. Apenas 53 deles ficaram dentro do presídio", disse o Inpe.O instituto acrescentou que pretende reforçar as medidas de segurança nos presídios para os quais foram transferidos os detentos de Tambo de Moura que se entregaram ou que foram recapturados. E afirmou estar trabalhando com a polícia para garantir a captura dos que continuam foragidos.(Por María Luisa Palomino)

Tudo o que sabemos sobre:
terremotoPeru

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.