Peru suspende estado de emergência em área de mineração

O governo do Peru anunciou na noite de quinta-feira a suspensão do estado de emergência imposto à região de Cajamarca (norte) por causa de protestos contra a mineradora norte-americana Newmont, que opera a mina de Conga, um projeto de 4,8 bilhões de dólares.

REUTERS

16 de dezembro de 2011 | 10h05

O governo do presidente Ollanda Humala disse também que irá reabrir na segunda-feira as negociações com os adversários do projeto e descongelará as contas bancárias do governo regional de Cajamarca, num sinal de que pode haver solução para o impasse iniciado há um mês.

Os manifestantes temem que a mina de ouro afete os lagos andinos que abastecem as comunidades. Os protestos levaram a Newmont e sua parceira peruana, a Buenaventura, a suspenderem temporariamente em novembro as obras do que deve ser o maior investimento já feito no setor minerador.

O primeiro-ministro Oscar Valdés adotou uma atitude dura contra os líderes do protesto, congelando os bens do governo local, detendo manifestantes e impondo o estado de emergência para mostrar que não irá tolerar atrasos na criação de novas minas no país, em projetos que totalizam 50 bilhões de dólares.

(Reportagem de Lima Newsroom)

Tudo o que sabemos sobre:
PERUMINANEWMONT*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.