Kai-Uwe Knoth/AP
Kai-Uwe Knoth/AP

Piñera cita frase do hino da Alemanha nazista no livro de visitas do país

Presidente se desculpa e diz que não sabia que frase era ligada ao nazismo; folha será retirada

Efe,

25 de outubro de 2010 | 17h34

BERLIM- O presidente do Chile, Sebastián Piñera, pediu nesta segunda-feira, 25, desculpas por escrever no livro de ouro de visitas da Presidência da Alemanha uma frase que ele "desconhecia" que fizesse parte do hino do regime nazista.

 

"Não tinha a menor consciência de que essa frase pudesse estar ligada ao passado obscuro desse país e, portanto, lamento e peço desculpas pelo episódio", declarou o líder durante um ato público em Santiago.

 

O jornal alemão Süddeusche Zeitung revela hoje que Piñera escreveu a frase "Deutschland über alles" (Alemanha sobre todos), com a qual começava o hino alemão no tempo de Hitler, após ter tomado café com o presidente alemão Christian Wulff, encerrando sua visita ao país no sábado.

 

Em uma tentativa de minimizar o ato, o ministro chileno de Relações Exteriores, Alfredo Moreno, disse hoje a jornalistas que a reprodução da frase foi só "uma demonstração de apreço pela Alemanha, não tem nenhuma conotação que coincida com uma referência nazista, não tem nada a ver".

 

A frase foi retirada do atual hino da Alemanha. Segundo o chefe da diplomacia chilena, a atitude de Piñera foi de total espontaneidade. "O que o presidente fez foi saudar o povo alemão, escreveu uma frase em inglês e acrescentou essa frase em alemão".

 

Segundo o  Süddendeusche Zeitung, o presidente do país, que estava ao lado de Piñera enquanto ele escrevia a frase, demonstrou assombro e embaraço, mas não tentou interromper o colega.

 

O jornal também afirma que a Presidência reagiu diplomaticamente, indicando que Piñera só quis expressar algo positivo, e que o tema foi tratado posteriormente de maneira discreta com o embaixador chileno no país.

 

Fontes da presidência alemã comentaram que a folha com a frase de Piñera será retirada do livro de visitas e que foi solicitado ao presidente chileno que escreva outra saudação para substituir a primeira.

 

Atualizado às 18h16

Tudo o que sabemos sobre:
Sebastian PiñeraAlemanhaChilenazismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.