Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Piñera desiste da polêmica nomeação de seu irmão como embaixador na Argentina

Apesar de sua desistência, o presidente chileno reiterou que Pablo cumpre todas as condições para o cargo e que 'não houve nenhum ato de nepotismo'

Agence France-Presse

28 Abril 2018 | 17h49

SANTIAGO - O presidente chileno, Sebastián Piñera, desistiu neste sábado, 28, de nomear seu irmão Pablo como embaixador do Chile na Argentina, depois de ser acusado de nepotismo por parlamentares da oposição que compareceram ao gabinete da Controladoria para rever a legalidade da nomeação.

Dias antes, às vésperas de sua viagem pela Argentina e pelo Brasil, o mandatário considerou "prudente" congelar a nomeação de seu irmão e aguardar o pronunciamento da Controladoria da República.

"Eu me encontrei hoje com meu irmão Pablo para informá-lo de que desisti dessa nomeação", diz o comunicado divulgado pela Presidência.

+++ ‘Quando falha a Suprema Corte, a quem se recorre?’, indaga presidente do Chile a ministros do STF

O presidente considerou que a nomeação do Embaixador do Chile na Argentina é urgente e não é compatível com os prazos estimados e informados pelo Controlador Geral para se pronunciar sobre o requerimento.

Apesar de sua desistência na nomeação, Piñera reiterou que seu irmão cumpre todas as condições para o cargo e que "não houve nenhum ato de nepotismo".

+++ Com bilionário Sebastián Piñera, direita volta ao poder no Chile

A presidência do Chile já iniciou negociações com a Argentina para a nomeação do novo embaixador.

Piñera, que já foi presidente do Chile (2010-2014) e assumiu seu segundo mandato em 11 de março, finalizou sua primeira visita oficial ao Brasil e à Argentina, com o objetivo de aprofundar as relações comerciais com os países do Cone Sul. /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.