Piñera pede que membros do governo permaneçam no cargo

Presidente eleito não pode definir todos os representantes regionais dos ministérios por conta do terremoto

estadao.com.br,

09 de março de 2010 | 08h54

O presidente eleito do Chile, Sebastián Piñera, pediu que alguns dos atuais representantes ministeriais regionais mantenham-se em seus cargos até que os funcionários do seu governo, que assume no próximo dia 11, sejam nomeados, já que o terremoto atrasou as designações desses cargos, informa o jornal chileno La Nación nesta terça-feira, 8.

 

Mais sobre o pós-terremoto:

linkGoverno punirá quem aumentar preços em excesso no Chile

 

VEJA TAMBÉM:
especialEntenda o terremoto no Chile
especialOs piores terremotos desde 2000
mais imagens Galeria de fotos sobre a tragédia
lista Tudo o que foi publicado

Piñera se reuniu com o atual ministro do Interior, Edmundo Pérez Yoma, e o futuro titular da pasta, Rodrigo Hinzpeter, para tratar do assunto. Yoma, representando a presidente Michelle Bachelet, disse que há disposição do atual governo em manter algumas autoridades regionais até que a próxima administração tenha condições de substituí-los.

 

Assim, alguns representantes regionais dos ministérios continuarão em seus cargos apesar da troca de governo e serão substituídos nas próximas semanas, quando Piñera decidirá os ocupantes dos cargos.

 

Yoma, porém, deixou claro que "por parte do governo não há nenhum problema, mas as decisões são individuais e cada pessoa é livre para aceitar ou não" a proposta de Piñera. O ministro do Interior acrescentou que "todas as renúncias já estavam preparadas e poderiam ocorrer a qualquer momento. Isso deve ser decidido entre os representantes regionais e os governadores."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.