Podemos nacionalizar empresas colombianas, diz Chávez

Venezuelano afirmou ainda que seu governo 'terá de vender' as empresas que tem na Colômbia

Efe,

06 de março de 2008 | 02h06

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, afirmou nesta quarta-feira, 5, que poderia nacionalizar algumas empresas colombianas que operam em seu país, em meio à crise diplomática que envolve Venezuela, Colômbia e Equador. Veja também:PT diz que Colômbia pode ameaçar a paz na América LatinaRaúl Reyes foi localizado após uma ligação de Chávez, diz rádioEm telefonema para Sarkozy, Chávez reafirma posição pacifista Resolução diz que Colômbia violou soberania do EquadorColômbia exibe imagens da incursão militar  Dê sua opinião sobre o conflito   Por dentro das Farc Entenda a crise   Histórico dos conflitos armados na região  'É possível que as Farc se desarticulem'   Embaixador brasileiro Osmar Chohfi comenta decisão da OEA  "Poderíamos nacionalizar algumas, não estamos interessados em ter empresas colombianas na Venezuela", disse Chávez em entrevista coletiva conjunta com seu colega equatoriano, Rafael Correa. O governante venezuelano assinalou que seu Governo "terá de vender" as empresas que tem na Colômbia, e advertiu ainda que cairá de forma significativa o comércio bilateral, que beirou os US$ 6 bilhões em 2007. "O comércio entre Venezuela e Colômbia está em queda", disse Chávez, que explicou que seu Governo busca há algum tempo novos parceiros comerciais. Chávez ordenou neste domingo o fechamento da Embaixada venezuelana em Bogotá e enviou reforços militares à fronteira como medida preventiva diante de uma situação similar à ocorrida no Equador, onde foi morto o "número dois" e porta-voz internacional das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), "Raúl Reyes", além de outros 24 rebeldes. O Conselho Permanente da Organização dos Estados Americanos (OEA) aprovou por unanimidade uma resolução que estabelece que o Governo colombiano violou a soberania e a integridade territorial equatoriana com a incursão militar do sábado, assim como os princípios do direito internacional.

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaVenezuelaempresa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.