Polícia colombiana prende um dos principais traficantes do país

Miguel Ángel teve a morte anunciada no início da semana, mas depois descobriu-se que irmão gêmeo foi a vítima

Agência Estado e Associated Press,

02 de maio de 2008 | 10h02

A polícia colombiana anunciou nesta sexta-feira, 2, a prisão do segundo dos dois irmãos gêmeos que estavam entre os principais traficantes do país. Miguel Angel Mejía foi detido na cidade de Honda, 95 quilômetros a oeste de Bogotá, disse um alto funcionário da polícia, sob condição de anonimato.   Veja também:   Colômbia diz ter trocado identidade de traficante morto   O irmão gêmeo dele, Victor Manuel Mejía, foi morto na terça-feira durante uma operação da polícia em um rancho no noroeste colombiano. Os dois tinham ligações com paramilitares. "Que bom que a cabeça dessa cobra foi decepada", disse o ministro do Interior, Carlos Holguín, à rádio RCN. O ministro confirmou a captura de Miguel Mejía.   O governo dos Estados Unidos oferece US$ 5 milhões como recompensa por informações que levem à captura de cada um dos gêmeos. Suspeita-se que os dois começaram no tráfico na década de 1990. Eles foram apontados como responsáveis pelo envio de quase 80 toneladas de cocaína em um período de dois anos, de acordo com um pedido de extradição feito pelos EUA, em 2004.   Como muitos narcotraficantes no início da atual década, "Los Mellizos" (Os Gêmeos), entraram em grupos paramilitares. A intenção era se beneficiar de um acordo de paz proposto pelo governo, que oferecia redução de sentenças e suspendia ordens de extradição para membros desses grupos. Mas os irmãos fugiram após terem sido transferidos para uma prisão na qual estavam outros chefes do narcotráfico colombiano.   A polícia inicialmente afirmou ter matado Miguel Angel Mejía na terça-feira. A identidade de Miguel estava com o irmão, mas exames nas digitais do morto revelaram que tratava-se de Victor.   Os paramilitares se estabeleceram no país a partir da década de 1980. Inicialmente, tinham como objetivo combater os guerrilheiros esquerdistas, porém acabaram cometendo os mesmos crimes desses, como assassinatos e roubo de terras, além do envolvimento com o narcotráfico.

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaMiguel Ángel Mejía Múnera

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.