Polícia do Equador ocupa canais de TV por dívidas de banqueiro

Emissoras de grupo associado a um banco fechado sob investigação financeira são bloqueadas por policiais

Efe,

08 de julho de 2008 | 08h39

A estatal Agência de Garantia de Depósitos (AGD) do Equador interveio em pelo menos dois canais de televisão do país, vinculados ao "Grupo Isaias", associado a um banco fechado e sob investigação financeira. Dezenas de policiais bloquearam nesta madrugada as entradas aos canais TC-Televisión e Gamavisión, em Quito e Guayaquil, informaram fontes dos dois meios de comunicação. Segundo fontes dos dois meios de comunicação, representantes da AGD que entraram de madrugada na TC-Televisão em Guayaquil repetiram diante das câmeras que o trabalho dos funcionários das empresas afetadas está "garantido". Uma fonte da televisão em Quito disse que a medida não afeta apenas os dois canais de televisão, mas possivelmente uma TV a cabo, algumas revistas e outras empresas do Grupo Isaias, que envolve mais de cem companhias. A AGD é a entidade responsável por recuperar o dinheiro que o Estado destinou para sanear cerca de 20 bancos que sofreram intervenção após a crise financeira no país entre 1998 e 1999, considerada a pior da história nacional. A agência mantém um julgamento por suposto desvio de dinheiro do Estado entregue ao Filanbanco, cujos proprietários eram os irmãos Roberto e William Isaias, cuja extradição dos Estados Unidos foi solicitada pelo Equador para que se submetam à Justiça. A intervenção da AGD nesta madrugada ocorreu um dia depois de o governo do Equador desmentir os rumores jornalísticos sobre uma possível apreensão dos bens da TC-Televisão por parte dessa agência estatal.

Tudo o que sabemos sobre:
Equador

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.