Polícia mexicana prende 5 possíveis sequestradores de jornalistas

Presos podem ter ligação com o Cartel de Sinaloa; país é considerado perigoso para a prática de jornalismo

Efe

13 de agosto de 2010 | 02h34

CIDADE DO MÉXICO - Agentes federais prenderam cinco supostos membros do cartel das drogas de Sinaloa, que supostamente sequestrou em 26 julho quatro jornalistas mexicanos no estado de Durango, informa na terça-feira, 12, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) do país.

A fonte explicou em um comunicado que os agentes conseguiram o feito devido a continuação de uma investigação do sequestro e sobre três criminosos que tem ligação com o caso, presos em 4 de agosto.

Em 26 de julho, os jornalistas Javier Canales Ferández, Alejandro Hernández Pacheco, Oscar Solís e Héctor Gordoa foram interceptados na região de Laguna que compreende as áreas dos estados de Coahuila e Durango, quando voltavam da cobertura de protestos de réus em uma prisão, relacionadas com um caso de corrupção pública.

Para a libertação, foram publicados vários vídeos na internet sobre o assunto, que foram elaborados pelos criminosos, para contestar a influência de um grupo rival.

Inicialmente, os sequestradores liberaram dois jornalistas, e no final de julho outros dois foram resgatados por agentes federais. A SSP disse na quinta-feira que entre os cinco detidos está Héctor Jesús Flores Gutiérrez, apelido "El Adán", de 27 anos, possível líder do grupo criminoso. A ele se atribui por ter interceptado os quatro jornalistas, além de gravar vídeos sobre policiais sequestrados.

Os outros detidos são Berenice Hernández González, apelido "La Morena", de 20 anos, e Maciel Cruz Montelongo, de 22 anos. Os criminosos foram apreendidos nove veículos, seis fuzis de assalto e coletes a prova de balas, entre outros objetos. O México é considerado um país perigoso para fazer jornalismo, depois que em uma década foram assassinados 70 jornalistas, dos quais 10 perderam a vida só neste ano. A maioria deles foram vítimas do crime organizado, em especial do narcotráfico.

Por outro lado, a SSP informou que prendeu nove possíveis integrantes do cartel do Golfo, um dos mais violentos do país, depois de que agentes federais tiveram um confronto a tiros com os criminosos no estado de Tamaulipas, Golfo do México. Entre os nove presos há cinco jovens com idades entre 20 e 24 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.