Policiais bolivianos protestam exigindo aumento salarial

Policiais bolivianos protestaram nesta sexta-feira exigindo melhoria nos salários e não cumpriram seu trabalho de fazer a segurança em bancos e no trânsito, mas as autoridades asseguraram que a situação estava controlada.

REUTERS

22 de junho de 2012 | 15h25

O governo iniciou um diálogo com os amotinados - suboficiais e policiais de patentes baixas - enquanto os meios de comunicação locais noticiavam que o protesto incluía a ocupação de quartéis e outras dependências da polícia, onde os revoltosos expulsaram seus superiores e destruíram documentos e computadores.

A revolta, que ocorre dois dias antes do aniversário da polícia e foi acompanhada de uma marcha das esposas de policiais em La Paz, teve pouco impacto nas atividades cotidianas nas ruas porque coincidiu com um feriado prolongado pela celebração do ano novo indígena, comemorado na quinta-feira.

O comandante policial, Victor Maldonado, assegurou que a situação estava "controlada", embora tenha admitido que os policiais permaneciam em seus quartéis e não cumpriam com suas funções habituais de controle do trânsito, segurança em bancos e escritórios públicos e outras tarefas.

"Estamos iniciando um diálogo sincero com a esperança de que isto acabe muito em breve, hoje mesmo, e não chegue a maiores complicações", disse Maldonado, que assumiu o cargo há um mês.

O presidente Evo Morales, de esquerda, que no último ano trocou duas vezes o comandante nacional da polícia, considerava a possibilidade de ordenar a suspensão de todos os atos de comemoração do aniversário da polícia, programados para o final de semana, afirmaram fontes do governo.

(Reportagem de Carlos A. Quiroga)

Tudo o que sabemos sobre:
BOLIVIAREVOLTAPOLICIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.