Policiais de 21 países reunidos em Bogotá criarão a Ameripol

Organização terá entre suas tarefas a coordenação da luta contra o tráfico de drogas e pessoas

Efe,

13 de novembro de 2007 | 02h56

Representantes das Polícias de 21 países da América Latina e do Caribe se reunirão a partir desta terça-feira, 13, em Bogotá para criar a Comunidade de Policiais da América Latina e Caribe, a Ameripol, que terá entre suas tarefas a coordenação da luta contra o tráfico de drogas. A reunião, que vai até quarta-feira, foi anunciada pelo ministro da Defesa da Colômbia, Juan Manuel Santos. Ele disse que a criação da Ameripol "pode servir para coordenar muito melhor a luta contra o crime em todas suas modalidades, inclusive o narcotráfico, com as polícias da região". A Ameripol será formada por 21 países e contará com o apoio dos Estados Unidos e Canadá. Também terá uma colaboração especial da Europol, que originou a idéia de sua criação. A Secretaria-geral será em Bogotá, e a Presidência deverá ser rotativa. A Europol reúne policiais da União Européia (UE) e atua nos 27 países-membros. Começou as suas operações em 1994, para combater o tráfico de drogas e o crime organizado. Os principais esforços da Ameripol serão combater o narcotráfico, o tráfico de armas para grupos ilegais, o tráfico de pessoas e a exploração de mão de obra, crimes de informática e pornografia infantil. A segurança nacional e redes terroristas também estão no alvo.

Tudo o que sabemos sobre:
AmeripolAmérica Latina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.