Popularidade de líder colombiano sobe e chega a nível recorde

Os índices de aprovação ao presidente daColômbia, Alvaro Uribe, elevaram-se para um recorde de 82 porcento, segundo revelou uma pesquisa do instituto Gallupdivulgada na quinta-feira. O aumento da popularidade deve-se, em parte, à forma comoUribe agiu na crise do país com o Equador e a Venezuela. Os governos equatoriano e venezuelano romperam os laçosdiplomáticos com a Colômbia e enviaram reforços militares parasua fronteira colombiana depois de as forças de Uribe teremrealizado um ataque dentro do Equador, no dia 1o de março,matando um importante líder da guerrilha Forças ArmadasRevolucionárias da Colômbia (Farc). A pesquisa realizada com mil colombianos ocorreu no auge dacrise, nos dias 4, 5 e 6 de março, quando líderes da regiãocriticavam o governo colombiano por ter violado a soberania doEquador. Uribe, um político conservador, ganhou respaldointernamente por causa do ataque que matou Raúl Reyes, o líderdas Farc, e pela forma como enfrentou o embate diplomático,resolvido em uma cúpula ocorrida na República Dominicana, nasexta-feira. O líder colombiano acusou os dirigentes do Equador e daVenezuela, ambos esquerdistas, de não cooperarem na luta contraas guerrilhas colombianas que se alimentam do tráfico dedrogas. Uribe, no entanto, prometeu não mais realizar ataquesem países vizinhos. A pesquisa, realizada pelo instituto Gallup Colômbia nasquatro maiores cidades do país -- Bogotá, Medellín, Cali eBarranquilla -- tem uma margem de erro de cerca de 3 pontospercentuais. A enquete anterior feita pelo mesmo instituto, em janeiro,deu a Uribe um índice de aprovação de 80 por cento.A economia colombiana melhorou seu desempenhou durante ogoverno do atual presidente, que se reelegeu em 2006 apósconseguir diminuir as taxas de criminalidade urbana, incentivaros investimentos, e adotar medidas de repressão contra as Farccom o apoio dos Estados Unidos. Atualmente, os principais aliados dele reúnem assinaturaspara que se altere a Constituição colombiana a fim de permitirque Uribe obtenha um terceiro mandato em 2010. (Reportagem de Hugh Bronstein)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.