Efe
Efe

Popularidade de Uribe chega ao nível mais baixo desde 2002

Escândalos de subsídios reduziram apoio ao presidente colombiano, que ainda conta com 64% de aprovação

Efe,

06 Novembro 2009 | 13h37

A popularidade do presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, caiu seis pontos percentuais em dois meses e chegou aos 64%, o nível mais baixo registrado desde que o atual mandatário chegou ao governo, há sete anos, segundo uma pesquisa divulgada nesta sexta-feira, 6.

 

O levantamento da empresa Invamer Gallup revela que o nível atual de aprovação de Uribe é menor que os 70% registrados em agosto, quando foi realizada a última pesquisa. Mesmo com a popularidade do presidente seguindo alta, ela foi afetada pelo escândalo em torno da concessão de subsídios agrícolas, a raiz da divulgação de listas de beneficiários nas quais aparecem pessoas conhecidas por suas grandes fortunas. No escândalo estão envolvidas pessoas como o atual ministro da Agricultura, Andrés Fernández, e o anterior, Andrés Felipe Arias, além de outros funcionários do governo.

 

O quinto bimestre do ano "não foi bom para o governo", explicou à Rádio Caracol o diretor da empresa, Jorge Londoño, destacando também que 46% dos cidadãos creem que as coisas estão piorando na Colômbia, enquanto 36% acha o contrário.

 

A enquete também mostra uma baixa de 58% para 52% de colombianos que afirmam que votariam no referendo para Uribe buscar um terceiro mandato. Dos que iriam às urnas, 82% votariam a favor da medida, contra 86% da pesquisa de agosto.

 

A lei, que pode dar sinal verde a um possível terceiro mandato de Uribe e já foi aprovada pelo Congresso, busca convocar um referendo para saber se os colombianos aprovam uma mudança na Constituição para que o governante possa se candidatar nas eleições de 2010.

 

Caso Uribe não tente uma nova reeleição, os candidatos melhor situados são o independente Sergio Fajardo, ex-prefeito de Medellín, e o ex-ministro da Defesa Juan Manuel Santos. Segundo a pesquisa, os dois possíveis candidatos estão empatados com 25% de apoio cada um.

 

O levantamento do Invamer Gallup entrevistou mil colombianos maiores de 18 anos nas cidades de Bogotá, Medellín, Cali e Barranquilla e tem margem de erro de 3%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.