Prefeito de Caracas vai apelar de acusações 'infundadas', diz advogado

O prefeito da capital da Venezuela, Caracas, vai lutar contra a acusação de tramar um golpe contra o governo socialista, disse seu advogado neste sábado, denunciando as acusações como infundadas.

REUTERS

21 de fevereiro de 2015 | 17h53

Agentes de inteligência prenderam o prefeito Antonio Ledezma, em seu escritório na quinta-feira à noite.

Ele foi indiciado no dia seguinte sob a acusação de conspiração contra o presidente Nicolás Maduro e está em prisão militar da Venezuela de Ramo Verde, onde o colega líder da oposição, Leopoldo Lopez, tem sido mantido preso há um ano.

A oposição disse que a prisão de Ledezma é prova de que um Maduro cada vez mais impopular está reprimindo a dissidência para se manter no poder e distrair os cidadãos da escassez crônica de produtos básicos, a mais alta inflação da região, uma recessão, além da elevada criminalidade.

Mas o advogado de Ledezma, Omar Estacio, disse que acredita no sistema de Justiça da Venezuela e que planejava apresentar uma primeira apelação já em segunda-feira ou terça-feira.

"Nós vamos recorrer da decisão do juiz", disse ele. "Eu me sinto muito confiante de que a Justiça venezuelana vai corrigir isso, porque essas acusações são verdadeiramente sem fundamento."

(Por Alexandra Ulmer)

Tudo o que sabemos sobre:
VENEZUELACARACAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.