Presidente argentina escolhe ministro para concorrer a vice

A presidente argentina, Cristina Fernández, escolheu o ministro da Economia, Amado Boudou, para concorrer a seu lado para a vaga de vice-presidente nas eleições de outubro.

REUTERS

26 de junho de 2011 | 10h11

Cristina, favorita a obter um segundo mandato nas eleições de 23 de outubro, prometeu ampliar políticas de esquerda iniciadas oito anos atrás por seu marido e antecessor como presidente, Néstor Kirchner, morto em 2010.

Boudou, e nomeado ministro há dois anos, ganhou a confiança da presidente quando atuou como chefe da previdência. Cristina nacionalizou bilhões de dólares em fundos de pensão em 2008.

Ao anunciar sua escolha, Cristina citou a lealdade de Boudou --uma preocupação importante depois da ruptura entre Cristina e seu atual vice, Julio Cobos, no primeiro mandato.

"Preciso de alguém ao meu lado que não tenha medo das corporações", disse a presidente em discurso. "Seguir mudando a Argentina é a única coisa que me mobiliza; poder seguir aprofundando esse modelo."

Boudou, de 48 anos, foi um dos maiores defensores das políticas intervencionistas de Cristina, que incluem o uso de limites à exportação para combater a inflação, barreiras de importação para melhorar o superávit comercial e o uso de reservas internacionais para o pagamento de dívidas.

(Por Helen Popper e Maximiliano Rizzi)

Tudo o que sabemos sobre:
ARGENTINAPRESIDENTEVICE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.