Presidente da Colômbia desiste de prorrogar mandato a seis anos

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, desistiu nesta segunda-feira de uma ideia controversa de estender a seis anos os mandatos presidenciais, mas manteve o suspense sobre sua intenção de buscar ou não a reeleição por mais quatro anos, como permitido pela legislação.

Reuters

22 de abril de 2013 | 19h46

Santos lançou na sexta-feira a possibilidade de prorrogação dos mandatos presidenciais por mais dois anos, o que implicaria uma reforma constitucional. A Constituição do país permite atualmente aos presidentes buscar a reeleição para um período de quatro anos, o mesmo período para o qual foram eleitos.

A proposta de Santos, que provocou uma tempestade política com diferentes interpretações de sua abrangência, contemplava estender seu mandato a seis anos, eliminar a reeleição presidencial e combinar os mandatos do presidente com os de parlamentares, prefeitos e governadores.

"Como eu sou o primeiro a considerar que o país precisa de iniciativas que nos unam ao invés de nos dividir, considero que seria inconveniente levar ao Congresso neste momento qualquer iniciativa dessa natureza e que se deve deixar tão necessário debate para depois de eleito o próximo governo", disse Santos, em uma carta ao Congresso.

Mas o presidente, um economista educado nos Estados Unidos e na Inglaterra, recusou-se a especificar se deseja tentar a reeleição no pleito de maio de 2014.

A lei colombiana prevê que o presidente em exercício deve anunciar o seu interesse em ser reeleito seis meses antes da votação. Santos, portanto, tem até novembro para fazê-lo.

Tudo o que sabemos sobre:
COLOMBIAPRESIDENTEDESISTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.