Presidente da Colômbia enfrenta protesto indígena

O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, foi fortemente pressionado por centenas de indígenas que, enfurecidos, o insultaram e impediam que ele discursasse, no domingo. Um encontro entre Uribe e líderes aborígenes, marcado para esta segunda-feira, foi cancelado. Com um megafone na mão, Uribe chegou a uma ponte perto de uma praça na cidade de Cali, onde os indígenas esperavam há horas para iniciar um diálogo para por fim a um protesto pela entrega de terras. Consta que Uribe tenha chegado pela manhã a Cali e esperou os líderes indígenas em um estúdio de televisão local, para fazer um debate e a negociação. Uma aparente falha na organização impediu o encontro com os aborígenes, que o esperavam em outro lugar. "Apesar de termos desobedecido as normas de segurança da Presidência, vocês se apresentaram aqui. Por isso, viemos a esta praça", disse o presidente. No entanto, os indígenas começaram a xingar o presidente e começaram a se retirar da praça, argumentando que Uribe havia descumprido a promessa de comparecer ali. "Nós vamos nos reorganizar, vamos continuar trabalhando. Dizemos diante do país que quem nos chama de terroristas, quem nos assassina e retira de nós a possibilidade ter um território é quem deixou a praça vazia hoje", disse um dos dirigentes indígenas, antes de abandonar a praça. "Estão gritando 'Uribe maricas', por quê me insultam?", respondeu o presidente. "Transformem esse entusiasmo em argumentos. Não me chamem de paramilitar, assim como as Farc. Eu quero que vocês se diferenciem das Farc", afirmou Uribe. De acordo com os líderes do protesto, cerca de 30 mil indígenas chegaram a Cali em uma marcha na qual houve enfrentamentos com a polícia, bloqueios na estrada Pan-americana e a morte de pelo menos três índios desde a semana passada. De acordo com o governo, membros das Farc estavam infiltrados na mobilização. Depois do incidente, Uribe afirmou que o propósito do governo é o diálogo com os indígenas sobre todos os temas que queiram abordar. Os indígenas convocaram um encontro para segunda-feira no estádio Pascual Guerrero de Cali, mas o presidente disse que não comparecerá porque tem outros compromissos. (Por Luis Jaime Acosta)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.