Presidente da Colômbia suspende negociação de paz com as Farc após sequestro de general

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, suspendeu na segunda-feira a negociação de paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), horas depois de guerrilheiros sequestrarem um general do Exército em uma zona de selva no oeste do país.

LUIS JAIME ACOSTA, REUTERS

17 Novembro 2014 | 09h34

"Se suspende esta negociação até que se libertem estas pessoas", disse o presidente ao fim de uma reunião com o ministro da Defesa colombiano, Juan Carlos Pinzón, e o comando militar do país. A medida deixa em suspenso um processo que busca por fim a um conflito que dura mais de 50 anos.

O general Rubén Darío Alzate, comandante da Força-Tarefa Conjunta Titán, que opera no Departamento de Chocó, é o militar de mais alta patente capturado pelo grupo guerrilheiro de esquerda na história recente do país.

O militar foi sequestrado no domingo numa área de selva no oeste do país, onde entrou como civil, sem escoltas e sem cumprir com as medidas de segurança.

Não é a primeira vez que a negociação de paz, que completa dois anos e é realizada em Cuba, sofre uma crise.

O ministro da Defesa revelou que o general, responsável por uma unidade estratégica que combate por terra, rios e ar as Farc, se deslocou em uma lancha até um local perto da cidade de Quibdó para supervisionar um projeto energético e foi sequestrado pela guerrilha quando desembarcou.

As Farc não se pronunciaram imediatamente sobre o caso.

Mais conteúdo sobre:
COLOMBIANEGOCIACAOPAZSUSPENSA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.