Presidente da Guatemala retira policiais de local em estado de sítio

Álvaro Colom teme que membros da Polícia Nacional Civil estejam infiltrados em cartel mexicano

Efe,

22 de dezembro de 2010 | 23h28

GUATEMALA- O presidente da Guatemala, Álvaro Colom, ordenou nesta quarta-feira, 22, a remoção definitiva dos 335 agentes da Polícia Nacional Civil que estavam mobilizados no departamento (estado) de Alta Verapaz, no norte do país, em estado de sítio desde o domingo passado.

 

Veja também:

linkPolícia do México prende chefe de pistoleiros de cartel

linkCartel mexicano leva terror à Guatemala

 

O presidente disse a jornalistas que os agentes "foram retirados" para garantir que não sejam vazadas as informações sobre as operações que as forças de segurança realizam na região contra o grupo de narcotraficantes mexicano Los Zetas.

 

Colom reconheceu que os policiais removidos "podem estar infiltrados" pelos Zetas, cartel que segundo as autoridades está há um ano operando no norte da Guatemala, território usado para transportas as drogas que chegam de Honduras ao México e aos Estados Unidos.

 

Os agentes "têm ficado expostos à intervenção do crime organizado e do narcotráfico", reconheceu o governante.

 

O escritório de imprensa da PNC informou por meio de um comunicado que os 335 agentes removidos foram transferidos à Academia da instituição, na capital guatemalteca, "à espera de serem mobilizados a outros departamentos".

 

No domingo passado, o governo decretou estado de sítio em Alta Verapaz, com vigência de 30 dias, para recuperar a governabilidade nesse departamento, tomado por grupos do narcotráfico.

 

Segundo o último reporte oficial, foram realizadas as prisões de 18 supostos integrantes do Los Zetas como resultado das operações de segurança, e foram apreendidos 220 fuzis, assim como aviões de pequeno porte, 28 veículos - vários deles blindados - e mais de US$ 62.000.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.