Presidente do Chile pede libertação de Betancourt

O Chile pediu na terça-feira àguerrilha Farc que solte a ex-candidata presidencial colombianaIngrid Betancourt, após uma reunião na qual o marido dela, JuanCarlos Lecompte, solicitou ajuda à presidente Michelle Bacheletpara levar adiante ações que permitam a libertação da refém. Em visita ao Chile, Lecompte foi recebido por Bachelet nopalácio presidencial de La Moneda, em um encontro do qualparticipou também o vice-chanceler chileno, Alberto vanKlaveren. "Nós fizemos um chamado às Farc para que liberemincondicionalmente, não apenas a Ingrid Betancourt, que é umsímbolo das pessoas sequestradas na Colômbia, mas também orestante dos sequestrados na Colômbia", disse o vice-chanceler. Bachelet "reiterou a disposição do Chile de participar eapoiar todos os esforços que sejam feitos para a libertação dossequestrados na Colômbia, e nós reiteramos nosso apoio aoprocesso de paz na Colômbia", acrescentou o vice-chanceler. A guerrilha Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia(Farc) -- maior grupo guerrilheiro colombiano -- libertaramunilateralmente este ano seis políticos que mantinha reféns,como parte das gestões lideradas pelo presidente venezuelano,Hugo Chávez. Na véspera, Lecompte afirmou que Betancourt, sequestrada hámais de seis anos, poderia ter sido liberada se a Colômbia nãotivesse bombardeado um acampamento das Farc no Equador, noinício do mês, no qual morreu o segundo no comando do grupoguerrilheiro, conhecido como Raúl Reyes. Lecompte disse que Bachelet o recebeu na terça-feira "demaneira muito calorosa" e "se comprometeu a trabalharativamente a questão". "Eu expliquei a ela que estávamos em um momento crucial eeste era o momento de ajudarmos. Ela nos prometeu que vai atuarde um modo mais eficaz na questão, de maneira imediata",afirmou o marido de Betancourt. (Reportagem de Rodrigo Martínez)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.