Presidente do Paraguai reassume função após deixar hospital

O presidente do Paraguai, Fernando Lugo, afirmou neste sábado ter regressado do Brasil com energia para reassumir as suas funções, após o início o tratamento contra um câncer.

DANIELA DESANTIS, REUTERS

14 de agosto de 2010 | 17h38

Ele assegurou que a doença não interferirá no seu trabalho.

Lugo saiu sorridente e caminhando do avião da Força Aérea Brasileira que o levou até o seu país, recebeu uma saudação do vice-presidente e de seus ministros e dirigiu uma mensagem à população: não esperem um presidente "fraco, mas renovado e com energia".

O presidente de 59 anos foi submetido na quinta-feira a uma sessão de quimioterapia no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, para tratar um linfoma não-Hodgkin localizado na região da virilha, mediastino e numa parte óssea da coluna, que seus médicos garantem que é altamente curável.

"O quadro é controlável e reversível e o tratamento adotado visa isso", disse o presidente no aeroporto.

"Tanto a doença, quanto o tratamento com quimioterapia, serão administrados com a máxima tranquilidade e não causarão restrições ao cumprimento da agenda do presidente. Isso não é simplesmente uma demonstração de otimismo e sim uma garantia", ele disse.

As próximas cinco sessões de quimioterapia serão feitas no Paraguai, com um intervalo de quatro a seis meses, e Lugo espera realizá-las nos finais de semana. Na metade do tratamento, Lugo deverá retornar a São Paulo para exames de controle.

Tudo o que sabemos sobre:
PARAGUAILUGO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.