Matilde Campodonico/AP
Matilde Campodonico/AP

Presidente do Uruguai afirma vontade de fazer do Brasil seu principal aliado

Lula e Mujica se reuniram para discutir cooperação bilateral em temas sociais, políticos e econômicos

04 Maio 2010 | 22h59

Efe

 

MONTEVIDÉU- O presidente do Uruguai, José Mujica, afirmou nesta terça-feira, 4, a "vontade política" de seu governo para fazer do Brasil seu principal aliado e sócio econômico, no campo social e político, e cooperar mais em temas comerciais, financeiros e de infraestrutura.

 

"Que se saiba que o Uruguai de hoje tem a vontade política de viajar no estribo do Brasil", disse o mandatário uruguaio na coletiva de imprensa que deu junto com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, após a reunião de trabalho que mantiveram em Montevidéu.

 

Em sua breve declaração aos meios, Mujica destacou que o Brasil já é o primeiro cliente comercial do Uruguai e que, por isso, parece "correto e bem-sucedido" perseverar na linha de melhorar o máximo possível "as relações econômicas, comerciais, sociais e políticas" com seu vizinho do norte.

 

Mujica e Lula se reuniram em Montevidéu depois de participarem na Argentina na cúpula de presidentes da União de Nações Sulamericanas (Unasul), na segunda reunião bilateral entre os dois governantes desde que o presidente uruguaio assumiu em 1º de março.

 

Segundo explicou Lula à imprensa a pedido de Mujica, que considerou o brasileiro "o político mais prestigioso da América Latina e do mundo", foram abordados no encontro temas da agenda bilateral, em uma relação que "avança de forma excepcional".

 

Lula considerou que para o Brasil "é extremamente importante que o Uruguai tenha um crescimento econômico importante" para que possa competir em condições de igualdade no Mercosul e no mundo.

 

Neste sentido, o presidente reconheceu que o país, como a maior economia da região, "tem a obrigação" de ser um mercado importador de produtos, não só agrícolas, mas também manufaturados, de todo o Mercosul, como a forma de "cooperação" que pode oferecer a seus vizinhos.

 

Para Lula, a região "está avançando e tem condições para fazer muito", já que agora "todo o mundo sabe" que seus sistemas econômicos e financeiros são "firmes e responsáveis".

 

Entre os temas concretos tratados na reunião, estão o interesse por comercializar e trocar bens em suas próprias moedas, a instalação de um banco brasileiro em território uruguaio em breve, o melhoramento da "integração física" entre os dois países, e o interesse brasileiro em construir um porto de águas profundas na zona de La Paloma, sobre o oceano Atlântico, em região limítrofe com o Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.