Presidente dominicano culpa Governo passado por crise econômica

Leonel Fernández chama de "herança trágica" o déficit enfrentado pelo Banco Central

Efe

02 de janeiro de 2008 | 03h46

O presidente da República Dominicana, Leonel Fernández, assegurou nesta quarta-feira que seu Governo ainda deve fazer frente à "herança trágica" que no aspecto econômico representou para o país o exercício do ex-governante Hipólito Mejía (2000-2004). Fernández culpou a administração passada pelo déficit enfrentado pelo Banco Central, que receberá uma injeção este ano de 9 bilhões de pesos (US$ 272 milhões), soma que, afirmou, poderia ter sido investida em infra-estrutura pública. Durante o Governo de Mejía aconteceu a falência de três instituições bancárias, entre elas a do banco Baninter, o de maior capital privado até sua quebra em 2003, o que causou o colapso da economia dominicana e forçou a assinatura de um acordo de contingência com o Fundo Monetário Internacional (FMI), que hoje ainda é mantido. "Isto acontece quando há maus Governos que levam o país a uma situação de crise e de instabilidade, e até hoje temos de pagar por essas conseqüências", disse o governante em comunicado oficial. Fernández afirmou que o país seguirá pagando pelas conseqüências da crise econômica durante os próximos 15 ou 20 anos.

Tudo o que sabemos sobre:
República Dominicanacrisepresidente

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.