Presidente eleito do México quer ampliar comércio com Brasil

O presidente eleito do México, Enrique Peña Nieto, propôs uma maior abertura comercial com o Brasil para encurtar as distâncias entre as duas maiores economias da América Latina.

ESTEBAN ISRAEL, Reuters

19 de setembro de 2012 | 15h22

Peña Nieto se reuniu nesta quarta-feira em São Paulo com líderes empresariais brasileiros na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), na primeira parada de uma agenda que inclui um encontro na quinta-feira com a presidente Dilma Rousseff, em Brasília.

"Temos de nos distanciar da atitude de alguns que querem nos pôr em competição e rivalidade quando, na realidade, nossas economias têm uma grande oportunidade de complementariedade", disse Peña Nieto a jornalistas em São Paulo.

O México está procurando diversificar seus mercados e reduzir a dependência dos ciclos da economia dos Estados Unidos, seu principal parceiro comercial.

"Propus que façamos isso, numa primeira etapa, por meio de uma maior abertura comercial entre os diferentes setores da economia dos dois países", afirmou, sem especificar a quais setores se referia.

Brasil e México já estão há 15 anos tentando um acordo de livre comércio para ampliar um intercâmbio de apenas 9 bilhões de dólares, ou menos de 2 por cento do comércio total de cada um dos dois países.

A última tentativa foi abortada no começo deste ano, quando o Brasil impôs cotas de importação de carros mexicanos livres de impostos e pôs assim por terra um acordo setorial de livre comércio que deveria servir de teste para um Tratado de Livre Comércio.

Os esforços por maior abertura econômica entraram em choque no passado por causa da resistência do setor agrícola mexicano, que teme uma invasão de produtos agrícolas do Brasil.

Mas Peña Nieto disse ter vindo ao Brasil disposto a deixar os atritos de lado, como o do comércio de veículos.

"Venho mostrar toda a disposição de abertura, de diálogo, de encontrar maiores pontos de coincidência do que de diferença entre México e Brasil. Será justamente o tom que marcará o diálogo com a presidenta do Brasil", afirmou.

Em um artigo publicado nesta quarta no jornal Folha de S. Paulo, Peña Nieto disse querer dar ao México mais protagonismo na região.

"Meu propósito é recuperar a presença histórica do México no continente e, para tal, gostaria de ter o Brasil como interlocutor e aliado", escreveu.

O Brasil é a terceira parada de um giro latino-americano de Peña Nieto. Ele já esteve na Guatemala e Colômbia e depois irá ainda esta semana à Argentina, Chile e Peru.

O presidente eleito tomará posse em dezembro.

Tudo o que sabemos sobre:
MEXICOBRASILPENANIETO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.