Presidente eleito quer aproximação do Paraguai da China

O presidente eleito doParaguai, Fernando Lugo, falou na terça-feira sobre apossibilidade de dar início a relações diplomáticas com aChina, o que significaria uma mudança radical na políticaexterna daquele país, o único aliado de Taiwan na América doSul. Lugo venceu as eleições presidenciais de domingo com cercade 40 por cento dos votos, o que colocou fim aos 61 anos degoverno do Partido Colorado (centro-direita). Os coloradossempre mantiveram laços estreitos com Taiwan. "Entre o povo paraguaio, e entre os parlamentares, há umdesejo de aproximação da China continental. O Paraguai é oúnico país da região que não mantém relações com a Chinacontinental", afirmou o presidente eleito em uma entrevistacoletiva realizada na sede da coalizão de centro-esquerda quelidera. Taiwan, considerado pelo governo chinês uma Provínciarebelde, mantém relações diplomáticas com 24 países do mundo eé uma das principais fontes de financiamento externo da frágileconomia paraguaia. A China, que não deseja ver outros países mantendo contatosoficiais com Taiwan, é um dos maiores consumidores dasmatérias-primas exportadas pela região. E o Paraguai é o quartomaior exportador de soja do mundo. "Quando eu falava sobre mantermos relações abertas com todoo mundo, incluí-se aí, implicitamente, a China continental, sempressões de tipo nenhum. O Paraguai vai pensar a respeito etomar uma decisão na qualidade de país soberano eindependente", acrescentou. Lugo, que toma posse como presidente no dia 15 de agostopara cumprir um mandato de cinco anos, disse que vê uma maiorabertura para dialogar com as autoridades de Taiwan após arecente mudança de governo na ilha. "Se os outros países conseguiram manter relações com aChina continental, nós não vamos ficar para trás", disse. (Reportagem de Mariel Cristaldo)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.