Presidente Evo Morales promulga nova Constituição da Bolívia

Carta Magna permite reeleição presidencial por uma vez e concede maior autonomia para os departamentos

Efe

07 de fevereiro de 2009 | 16h12

O presidente Evo Morales promulgou neste sábado, 7, a nova Constituição da Bolívia que, segundo disse, permitirá voltar a fundar o país a partir da unidade, a igualdade e a dignidade, e caminhar em direção à reconciliação nacional. "Missão cumprida. Para voltar a fundar uma Bolívia unida", proclamou Morales, ao declarar promulgada uma Carta Magna que, pela primeira vez na história do país, foi aprovada com o voto popular no referendo realizado em 25 de janeiro. A nova Carta Magna, com 411 artigos, incorpora a formação de autonomias departamentais em três níveis, entre eles o indígena, destaca o papel do Estado e permite a reeleição presidencial por uma vez. A nova Constituição foi apoiada por 61% da população em uma consulta popular feita há duas semanas e foi promulgada neste sábado por Morales em uma cerimônia em El Alto, a 12 km de La Paz, seu principal reduto eleitoral.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.