Produtores bolivianos de coca bloqueiam estrada em protesto

Produtores de coca bloquearam nesta segunda-feira a única estrada que liga La Paz com a região amazônica da Bolívia, reivindicando a destituição de dois ministros e mudanças na política contra o narcotráfico do governo do presidente Evo Morales.

REUTERS

11 de outubro de 2010 | 17h01

Os protestos começaram na região subtropical dos Yungas (norte do país), área tradicional de produção de coca onde Morales tem enfrentado vários desafios políticos e sindicais, diferentemente do forte apoio que recebe do grêmio de trabalhadores da região central do Chapare, liderada por ele por mais de uma década.

"Hoje (segunda-feira) começou o bloqueio em vários pontos da rodovia. Estamos dispostos a dialogar, mas depende muito do governo. esperamos que mande uma comissão até o bloqueio", disse a uma rádio local o líder da associação de produtores de coca de La Paz, Víctos Sánchez, que organizou os protestos.

Os sindicatos da região dos Yungas, que de acordo com Sánchez mobilizaram pelo menos 3 mil pessoas, exigiram em um comunicado a demissão dos ministros de Governo, Sacha Llorenti, e de Desenvolvimento Rural, Nemesia Achacollo.

Também exigiram que se deixe sem efeito um novo regulamento que endurece o controle da comercialização interna de coca e que se acelere um até agora não definido projeto de industrialização dessa planta, da qual a Bolívia é o terceiro maior produtor mundial, atrás apenas da Colômbia e do Peru.

Até o momento não houve nenhuma reação do governo boliviano, embora o presidente Morales tenha dito sábado passado em entrevista à imprensa que considerava "injustificados" os protestos, argumentando que já havia decidido o cancelamento da entrada em vigor do regulamento da coca que vem sendo questionado.

Morales também não comentou o pedido de demissão de ministros. Há alguns meses, o presidente rejeitou veementemente exigências similares de outros sindicatos de camponeses.

Até o final do ano passado, a Bolívia tinha cerca de 300 mil hectares de plantação de coca, o dobro do autorizado por diversas disposições legais.

(Reportagem de Carlos A. Quiroga)

Tudo o que sabemos sobre:
BOLIVIAPROTESTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.