Protestos impedem visita de Morales à cidade boliviana d Sucre

Violentos protestos supostamenteincentivados pela oposição conservadora em Sucre deixaram aomenos três feridos neste sábado e obrigaram o presidenteboliviano, Evo Morales, a suspender sua muito anunciada visitaà cidade, capital legal do país. A visita estava programada com o propósito de comemorar oaniversário da cidade considerada como a que deu o primeirogrito de liberdade da América, há quase dois séculos, e que noúltimo ano foi cenário de motins que quase levaram a elaboraçãode uma nova Constituição ao fracasso. O presidente boliviano, cujas reformas socialistasenfrentam dura resistência de setores conservadores, não visitaSucre desde agosto do ano passado, quando foi hostilizado porgrupos que pediam a transferência do governo nacional para acidade localizado na parte sul do país. A suspensão da visita de Morales, anunciada em La Paz, foicomunicada enquanto se confirmava que ao menos três pessoasficaram feridas durante o confronto entre policiais emanifestantes. "Jamais permitiremos a presença de Evo Morales enquanto elenão pedir desculpas a Sucre pelo banho de sangue do anopassado", disse a jornalistas o reitor da universidade públicalocal, Jaime Barrón, presidente do chamado Comitê Institucionalque convocou o protesto. O reitor saudou, no entanto, a chegada de francosopositores como o presidente do Senado, Oscar Ortiz, e oprefeito de Cochabamba, Manfred Reyes Villa. (Com reportagem de David Mercado)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.