Provas de vida de reféns eram para Chávez, afirma senadora

As provas de vida de algunssequestrados pelas Farc (Forças Armadas Revolucionárias daColômbia), obtidas pelo Exército da Colômbia, eram destinadasao presidente venezuelano, Hugo Chávez, e mostram que anegociação estava avançando, afirmou na sexta-feira a senadoracolombiana Piedad Córdoba. O governo da Colômbia apresentou provas de vida daex-presidenciável Ingrid Betancourt e de três norte-americanosque estão em cativeiro. As provas foram apreendidas com trêsrebeldes capturados pelo Exército. O presidente colombiano, Alvaro Uribe, suspendeu na semanapassada a negociação mediada por Chávez, o que levou a umacrise diplomática. "A mediação do presidente Chávez estava sendo feita comresponsabilidade e com seriedade, e as provas vinham em meunome para ser levadas a ele", disse Córdoba à TV Telesur. Ela também participava das conversas, que visava a libertarreféns sequestrados há anos. Entre as provas de vida estãocartas e fotos dos reféns, acrescentou Córdoba. "Não estávamos fazendo nada que não fosse cumprir nossatarefa, estávamos avançando com muita rapidez." (Reportagem de Fabián Andrés Cambero)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.