Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Província argentina aprova castração química para estupradores

Localidade de Mendoza tem uma denúncia de estupro a cada três dias

Efe,

15 de março de 2010 | 17h44

O governo da província argentina de Mendoza, no oeste do país, aprovou nesta segunda-feira, 15, um plano integral para tratar estupradores reincidentes que inclui a aplicação da "castração química".

 

Veja também:

blogMarcos Guterman: Estupradores argentinos querem ser castrados

 

David Mangiafico, chefe da gabinete da Subsecretaria de Justiça local, disse que o governador Celso Jaque firmou os decretos que dão o marco legal à iniciativa, a qual estava há meses sob análise de um comitê científico.

 

"Agora começa a etapa de capacitação das equipes médicas e o plano de castração está pronto para ser implantado naqueles condenados por estupro que manifestarem sua vontade de serem submetidos a ela", disse o funcionário à imprensa local.

 

Segundo a imprensa noticiou recentemente, 11 condenados por crimes sexuais expressaram sua vontade de receberem este tratamento com remédios. A maioria deles é reincidente e têm penas superiores a 10 anos de cárcere.

 

Em Mendoza, situada 1000 km a oeste de Buenos Aires, há uma denúncia de estupro a cada três dias, de acordo com dados oficiais.

 

A castração química, que já é feita na Alemanha, em regiões dos Estados Unidos, Itália, Colômbia, El Salvador e República Dominicana, consiste na aplicação de injeções a cada seis meses que diminuem a produção de testosterona e inibem a libido.

Tudo o que sabemos sobre:
Argentinaestuprocastração química

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.