Província argentina aprova lei por 'morte digna'

A Província de Rio Negro, naPatagônia argentina, transformou-se na primeira do país emaprovar uma lei para a "morte digna", permitindo a pacientesterminais recusar tratamentos que provoquem sofrimento ou dor. O projeto foi aprovado na noite de quinta-feira peloLegislativo provincial e a lei entrará em vigor quando forregulamentada pelo Executivo. "Toda pessoa que padeça de uma enfermidade irreversível emestado terminal tem direito de manifestar seu repúdio aosprocedimentos cirúrgicos, de hidratação, alimentação ereanimação artificial quando eles forem desproporcionais àsperspectivas de melhora e produzam dor ou sofrimento", diz anorma, à qual a Reuters teve acesso. Mas a lei garante que não sejam interrompidas "as medidasque dizem respeito ao controle e ao alívio dessa dor nosúltimos instantes da vida". Diversos tribunais argentinos já autorizaram a chamadaortotanásia em casos específicos, mas muita gente quer que oassunto seja levado ao Congresso Nacional. (Reportagem de Karina Grazina)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.