PT diz que Colômbia pode ameaçar a paz na América Latina

Em nota, o partido alega que 'não há pretexto que justifique esta violação do direito internacional'

Agência Estado,

05 de março de 2008 | 21h10

O Partido dos Trabalhadores (PT) classificou a ação militar do governo colombiano, que invadiu o território do Equador, como uma violação do direito internacional, que pode ameaçar a paz entre os países da região.   Veja também: Lula classifica de madura decisão da OEA sobre conflito regional Raúl Reyes foi localizado após uma ligação de Chávez, diz rádio Em telefonema para Sarkozy, Chávez reafirma posição pacifista Resolução diz que Colômbia violou soberania do Equador Venezuela inicia envio de batalhões à fronteira Colômbia exibe imagens da incursão militar  Dê sua opinião sobre o conflito   Por dentro das Farc  Entenda a crise   Histórico dos conflitos armados na região   'É possível que as Farc se desarticulem'     Em nota oficial divulgada no site do partido, assinada pelo presidente nacional da legenda, Ricardo Berzoini, e pelo secretário de Relações Internacionais, Valter Pomar, o PT manifesta solidariedade ao governo e ao povo equatoriano e repudia a ação colombiana.   Na nota, o PT alega que "não há pretexto que justifique esta violação do direito internacional, inspirada numa doutrina fracassada que, a pretexto de 'combater o terrorismo', tem gerado destruição e instabilidade em várias regiões do mundo."   "O PT considera que a ação militar desencadeada pelo governo Uribe em território equatoriano, além de ameaçar a paz entre os países da região, prejudica o processo de troca de reféns e as almejadas negociações de paz. Quem mata o negociador, demonstra não estar interessado na negociação", acrescenta.   Além das críticas à ação da Colômbia, o Partido dos Trabalhadores manifestou apoio às demandas apresentadas publicamente pelo presidente do Equador, Rafael Correa, que exige um pedido de desculpas inequívoco por parte do governo Uribe e garantias firmes de que não haverá nova violação do espaço territorial equatoriano.   "O PT manifesta sua solidariedade ao Pólo Democrático Alternativo e a todas as forças políticas e sociais que se mobilizam, na Colômbia e em toda a América Latina, em favor da paz, da democracia e da justiça social", reitera o comunicado.   Nesta quarta-feira, 5, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva considerou "madura" a decisão da Organização dos Estados Americanos (OEA), que aprovou uma resolução afirmando que a Colômbia violou o território do Equador, e decidiu formar uma comissão para investigar o incidente.   

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaEquadorBrasilFarcPT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.