Rádios venezuelanas burlam proibição de Chávez pela internet

Presidente lançou ofensiva para regularizar meios de comunicação e pode cassar licença de até 240 emissoras

05 de agosto de 2009 | 12h58

Desde que algumas rádios venezuelanas começaram a sair do ar no último sábado, 1º, por conta de licenças cassadas pelo presidente Hugo Chávez, algumas emissoras encontraram uma brecha para burlar o veto da Comissão Nacional de Telecomunicações (Conatel) por meio da internet.

 

Veja também:

linkRádios com licença cassada saem do ar na Venezuela

 

"Estamos temporariamente sem sinal na frequência 106.3 devido a uma disposição da Conatel. Nos próximos dias continuaremos com nossa programação habitual na internet", avisa o site da América 106.3 FM.

 

O Circuito CNB também está reproduzindo sua programação por uma página da web. Pelo menos mais dez emissoras e suas filiadas estão usando a internet como canal alternativo para burlar a proibição da Conatel.

 

O governo venezuelano lançou uma ofensiva para regularizar os meios de comunicação privados com o objetivo de "democratizar o espaço radioelétrico", mas a oposição afirma que se trata de uma iniciativa para reprimir a liberdade de expressão e sufocar a dissidência.

 

A medida poderia afetar cerca de 240 emissoras de rádio. Há também o receio de fechamento iminente da TV de oposição Globovisión, que o governo acusa de mentir sistematicamente e conspirar contra o presidente Hugo Chávez.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.