Rafael Correa anuncia viagem ao Brasil na próxima semana

Presidente do Equador se reunirá com Lula, Chávez e Morales para discutir ambicioso projeto Manta-Manaus

Patricia Lara, da Agência Estado, e Associated Press,

27 de setembro de 2008 | 14h53

O presidente do Equador, Rafael Correa, anunciou que fará, na terça-feira, uma viagem para o Brasil para se encontrar com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e com os líderes Hugo Chávez, da Venezuela, e Evo Morales, da Bolívia, com o intuito de discutir o ambicioso projeto de unir por uma rota intermodal os oceanos Pacífico e Atlântico.   Veja também: Correa pede que Equador vote com esperança em referendo Cenário do Equador e referendo constitucional   Em seu tradicional programa de rádio transmitido aos sábados, Correa afirmou que "todos (os presidentes) estão interessados no projeto Manta-Manaus e conversaremos sobre o tema na ocasião."   O projeto busca ligar por meio de estradas, ferrovias e pela via fluvial as cidades de Manta, na costa equatoriana no Pacífico, à cidade de Manaus, na Amazônia, com a finalidade de estabelecer uma nova rota comercial entre os oceanos Pacífico e Atlântico.   Será o primeiro encontro de Correa com Lula desde que decidiu suspender as operações da construtora Odebrecht no país e ordenar a ocupação militar de suas instalações.   O presidente equatoriano comentou que "em duas ocasiões, porque somos pessoas de diálogo, estivemos prestes a fechar um acordo com a Odebrecht... E que nas duas ocasiões, a empresa voltou atrás". "Na segunda vez que burlaram com o país, assinei o decreto expulsando-os do país", disse. "Não sei se essa gente está acostumada a lidar com governos que podem ser abrandados, mas conosco eles se equivocaram", afirmou.   Correa acrescentou que recebeu, na quinta-feira, um documento assinado unilateralmente pela Odebrecht acatando "todas as exigências do governo, mas nós ainda temos que analisá-lo antes de permitir que eles continuem no país".

Tudo o que sabemos sobre:
Rafael CorreaEquadorBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.