'Rainha do Pacífico' é presa em operação contra o tráfico

Sandra Ávila Beltrán, de 46 anos, era a responsável por introduzir no México a cocaína vinda da Colômbia

EFE

29 de setembro de 2007 | 02h13

A Polícia mexicana capturou nesta sexta-feira Sandra Ávila Beltrán, conhecida como "A Rainha do Pacífico", procurada pelas autoridades do México e Estados Unidos por narcotráfico ligada ao colombiano Diego Montoya, informaram fontes oficiais. Horas depois da detenção da mulher, foi detido também na capital mexicana seu companheiro, o colombiano Juan Diego Espinosa Ramírez, conhecido como "O Tigre". Aparentemente, ele atuava como elo entre o crime organizado mexicano e os criminosos de seu país, disse um porta-voz da Secretaria de Segurança Pública (SSP). A mexicana Ávila Beltrán, de 46 anos, era procurada pelo Departamento Antidrogas (DEA) dos EUA. "Com esta detenção, a polícia federal desmantela um vínculo para o tráfico de cocaína entre os cartéis colombianos e mexicanos", disse em entrevista coletiva o subsecretário de Estratégia e Inteligência da SSP, Patrício Patiño. Ele acrescentou que a detida "desde a década de 90 se encarregava de introduzir no México a cocaína da Colômbia" e era parte de uma família que "por três gerações se dedicou ao narcotráfico". O funcionário considerou Ávila Beltrán uma das principais operadoras do cartel de Juárez. Ela é sobrinha do narcotraficante Miguel Ángel Félix Gallardo. O seu tio-avô Juan José Quintero Payán, em janeiro, foi extraditado pelo México aos EUA com outros 14 supostos delinqüentes. A mulher ainda tentou escapar da detenção, apresentando-se aos policiais com o nome falso de Daniela García Chávez, depois de ser seguida durante algum tempo por agentes federais. Segundo as autoridades, a "Rainha do Pacífico" é acusada de tentar transportar "uma carga de nove toneladas de cocaína pura achada no porto de Manzanillo", em 21 de julho de 2002. A Polícia dispunha de uma ordem de detenção com fins de extradição aos EUA "por narcotráfico e operações com recursos de procedência ilícita", segundo a Promotoria Geral. Ávila Beltrán nasceu no estado mexicano de Baja Califórnia, e controlava o tráfego marítimo de drogas da Colômbia ao México. Nos últimos anos se tornou uma figura destacada do narcotráfico no oeste do país, formando uma federação de chefes do crime para importar droga da Colômbia em grandes cargas. A imprensa mexicana afirma que ela foi casada com dois ex-comandantes da Polícia Judiciária Federal. 

Tudo o que sabemos sobre:
cocaínanarcotráficodrogas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.