Raúl Castro chega à Venezuela em 1ª visita oficial ao exterior

Sucessor de Fidel não revela quanto tempo ficará em Caracas, mas deve chegar ao Brasil na próxima quinta-feira

Efe,

13 de dezembro de 2008 | 14h44

O presidente cubano, Raúl Castro, chegou neste sábado, 13, à Venezuela para uma visita oficial, a primeira desde que substituiu na Presidência o irmão Fidel, que deixou o cargo motivos de doença, em julho de 2006. Castro, de 77 anos, chegou às 11h10 (13h40 de Brasília) ao aeroporto internacional de Maiquetía, limite a Caracas, onde foi recebido com honras pelo presidente venezuelano, Hugo Chávez, junto a seu gabinete de ministros.                                                                                                                                   Foto: Reuters   Enquanto conversavam, os governantes foram cumprimentados pelos altos funcionários dos dois países, e depois passaram em revista a parada de honra organizada no local. Chávez e Raúl Castro se reunirão neste sábado no palácio de Miraflores, segundo fontes oficiais de Caracas, que não revelaram quanto tempo o líder cubano permanecerá no país, nem as atividades que cumprirá. A imprensa estatal venezuelana informou que os dois líderes assinarão "vários acordos bilaterais", sem mais detalhes.   A visita de Raúl Castro "nos honra", e a primeira coisa que ele fará "será visitar o Panteão Nacional", para prestar honras aos próceres independentistas ali sepultados, entre eles Simón Bolívar, disse Chávez na quarta-feira passada, ao anunciar a presença do líder cubano no país.   Inicialmente, Raúl Castro chegaria a Caracas para participar de uma cúpula da Alternativa Bolivariana para as Américas (Alba) e da Petrocaribe, que tinha sido anunciada para o próximo domingo, mas esta foi adiada para o primeiro trimestre do próximo ano.   Na véspera da visita oficial de Raúl Castro, reuniu-se na sexta-feira na capital venezuelana uma comissão mista de alto nível que revisou o avanço dos projetos comuns em andamento, assim como outros "311" que serão desenvolvidos durante 2009, segundo o ministro da Energia venezuelano, Rafael Ramírez.   Caracas e Havana assinaram, em outubro de 2000, um convênio de cooperação que abrange acordos de vários tipos, entre eles um energético que permite a Cuba pagar parte dos 100 mil barris diários de petróleo fornecidos pela Venezuela com serviços médicos, educativos e esportivos.   Durante este ano, Venezuela e Cuba executaram conjuntamente um total de 76 projetos no valor de US$ 1,355 bilhão, segundo números oficiais. Outro plano bilateral destacado é a planejada instalação na Venezuela de 11 usinas para a produção de etanol e o desenvolvimento da produção de cana-de-açúcar, com tecnologia cubana.   Havana informou que, após sua estadia na Venezuela, Raúl Castro deve participar da Cúpula da América Latina e do Caribe sobre integração e desenvolvimento, nos dias 16 e 17 deste mês em Salvador (BA).   Em 18 de dezembro, Raúl Castro fará uma visita oficial ao Brasil, país com o qual a ilha estreitou relações de maneira exponencial nos últimos meses e que expressou sua intenção de se transformar em "parceiro número um" da ilha caribenha.

Tudo o que sabemos sobre:
Raúl CastroHugo Chávez

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.