Raúl Castro comparece à Assembléia Nacional de Cuba sem Fidel

Raúl Castro sentou-se na sexta-feira aolado de uma cadeira vazia, reservada para seu irmão FidelCastro, no primeiro encontro da Assembléia Nacional do paísdesde que o novo presidente cubano tomou posse, em fevereiro. Raúl, que adotou medidas para modernizar a economiasocialista da ilha, foi recebido com muitos aplausos pelos 600membros do órgão, que realiza sua segunda sessão deste ano. Fidel, 81, não é visto em público desde que passou o poderem caráter interino para o irmão depois de se submeter, emjulho de 2006, a uma cirurgia intestinal para enfrentar umproblema não revelado. Fidel subiu ao poder com a Revolução de 1959 e continua aser deputado da Assembléia Nacional, que mantém a cadeira deledesocupada, à espera de seu regresso. Raúl, 77, alimentou as esperanças de que haja grandesmudanças em Cuba, onde o cidadão comum recebe vários benefíciossociais, mas ganha menos de 20 dólares por mês. Entre as reformas aprovadas pelo governo dele incluem-se adescentralização da agricultura para aumentar a produção dealimentos, a abolição dos tetos salariais permitindo aosmelhores funcionários que ganhem mais, a abertura a cubanos deinstalações turísticas antes usadas exclusivamente porestrangeiros e a permissão para que os moradores da ilhacomprem telefones celulares e computadores. Raúl deve discursar na Assembléia Nacional ainda nasexta-feira. Em encontros de um comitê ocorridos antes do início dasessão anual da assembléia, autoridades do governo falaramsobre a necessidade de apertar ainda mais o cinto devido àdisparada dos preços do petróleo e dos alimentos. E disseram também que o governo deve descentralizar o setorda construção civil a fim de torná-lo mais eficiente e que deveelevar a idade de aposentadoria para ajudar o país a enfrentaro problema representado por uma população cada vez mais idosa. (Reportagem de Marc Frank e Rosa Tania Valdes)

REUTERS

11 de julho de 2008 | 17h32

Tudo o que sabemos sobre:
CUBARAULASSEMBLEIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.