Raúl Castro nomeia coronel para dirigir maior empresa de Cuba

Medida faz parte das ações destinadas a ampliar a eficiência e reduzir a corrupção nas estatais

MARC FRANK, REUTERS

27 de setembro de 2010 | 18h52

O presidente Raúl Castro nomeou um militar para dirigir a maior empresa cubana, como parte das medidas destinadas a ampliar a eficiência e reduzir a corrupção nas estatais.    

 

Veja também:

linkApós anos sem reajuste, Cuba eleva preço da gasolina

linkCuba irá libertar outros três presos políticos, diz Igreja 

linkEUA ajudam oposição a combater o chavismo, diz Fidel em artigo

O coronel Héctor Oroza chegou neste mês à sede da Corporação Cubana de Exportação e Importação (Cimex), em substituição ao presidente Eduardo Bencomo, que passou vários anos no cargo, segundo empregados da empresa.

"Desde então, houve vários militares comandando as coisas por aqui", disse um funcionário, pedindo anonimato.

Raúl, que substituiu o irmão Fidel como presidente em 2008, passou quase cinco décadas como ministro da Defesa de Cuba, e segundo alguns se sente mais à vontade com os militares, tanto que nomeou pelo menos dez deles como ministros, vice-ministros e para chefias de órgãos públicos e estatais.

Antes de dirigir a Cimex, Oroza Busutin era o número dois do Grupo Administrativo de Empresas (GAE S.A.), uma companhia ligada aos militares e que opera vários negócios com divisas estrangeiras, como a maior empresa de turismo e a maior imobiliária da ilha, uma rede de armazéns e centenas de lojas que vendem de alimentos a eletrodomésticos.

Luis Alberto Rodríguez, genro de Raúl, é executivo-chefe da GAE S.A.

A nova vice-diretora da Cimex, Ana María Oretega, ocupou um cargo semelhante na TRD-Caribe, uma rede de varejo dos militares, segundo fontes da empresa.

"Não estou surpreso. Isso segue uma tendência sob o governo de Raúl", disse um diplomata em Havana.

A nomeação não foi oficialmente noticiada, apesar das relações da Cimex com centenas de fornecedores estrangeiros e do papel significativo da empresa no cotidiano de Cuba.

Com faturamento anual de US$ 1 bilhão, a Cimex é uma estatal independente, que opera exclusivamente com moedas estrangeiras e com o peso conversível (que vale como moeda forte, ao contrário do peso "moeda nacional", de circulação comum).

A empresa administra uma linha de navegação e um banco, autoriza transações com cartões de crédito estrangeiros, controla remessas financeiras eletrônicas, atua no setor imobiliário e é também a maior agência de viagens do país, além de possuir 2.500 estabelecimentos varejistas, como lojas de departamentos, lanchonetes e postos de gasolina.

Tudo o que sabemos sobre:
CubaRaúl CastroCimexestatal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.