Raúl volta a pedir que cubanos sugiram ajustes econômicos

Segundo o presidente interino, Cuba ainda não saiu do período especial em que afundou há mais de 15 anos

Efe,

23 de setembro de 2007 | 20h40

O presidente interino de Cuba, Raúl Castro, pediu neste domingo, 23, que os cubanos se expressem com "valor e sinceridade" nos debates organizados em todo o país sobre a necessidade de ajustes estruturais para impulsionar a economia. Fidel aparece de pé e sorridente em nova foto     Em 26 de julho, data mais importante para a revolução cubana, Raúl Castro pronunciou um discurso com um acentuado caráter político no qual fugiu de triunfalismos e repassou os graves problemas econômicos do país. O presidente interino também afirmou que Cuba ainda não saiu do período especial em que afundou há mais de 15 anos e que precisa de ajustes estruturais para impulsionar sua economia. Há semanas as organizações oficiais de massas discutem o discurso em reuniões em bairros e centros de trabalho, às quais a imprensa estrangeira não tem acesso, para avaliar a opinião da população. Participantes de algumas dessas reuniões realizadas em Havana disseram à agência Efe que escutaram críticas sobre a situação econômica do país, os problemas de transporte e moradia e a precariedade salarial que os cubanos só se atreviam a falar até agora em conversas com parentes e amigos.

Tudo o que sabemos sobre:
CubaRaúl Castro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.