Rebeldes das Farc prometem seguir lutando após morte do líder

Os rebeldes das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) prometeram neste sábado continuar lutando depois da morte do líder deles, Alfonso Cano, que representou o maior golpe nos insurgentes de esquerda em quase cinco décadas de guerra.

REUTERS

06 de novembro de 2011 | 10h43

As Farc também rejeitaram o apelo do presidente, Juan Manuel Santo, de se desmobilizar, afirmou o grupo em comunicado no site de notícias Anncol, que costuma divulgar declarações dos rebeldes. Em um triunfo do governo do presidente Juan Manuel Santos, forças armadas bombardearam na sexta-feira um esconderijo das Farc na selva, na região de Cauca, sudoeste do país, matando vários rebeldes.

Depois do bombardeio, tropas desceram de helicópteros para vasculhar a área, matando Cano em um tiroteio pouco depois. Imagens do cadáver, com a barba raspada, foram transmitidas pela televisão.

(Reportagem Redação de Bogotá)

Tudo o que sabemos sobre:
COLOMBIAFARCLUTACONTINUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.