Rebelião em presídio deixa pelo menos 31 mortos na Argentina

Um incêndio provocado pelos presosdeixou pelo menos 31 mortos em uma penitenciária ao norte daArgentina, informaram autoridades nesta segunda-feira, em maisum episódio com mortes nas superlotadas cadeias do país. Imagens de televisão mostraram pessoas correndo noarredores do presídio em Santiago del Estero, capital do Estadode mesmo nome que fica a 1.150 quilômetros de Buenos Aires.Dezenas de familiares dos presos gritavam nervosas em busca deinformações. "Nós não temos os nomes (dos mortos). Queremos uma lista",disse uma mulher a um policial. O secretário de Justiça do Estado informou à Reuters queduas vítimas ainda não foram identificadas e que outras 11pessoas ficaram feridas. Outras imagens mostraram presos gritando das janelas dopresídio, reclamando do forte cheiro de queimado no local,enquanto outros incendiavam colchões. Um juiz entrou no prédiopara tentar acalmar a situação. Na madrugada de segunda-feira, o secretário de Justiça,Ricardo Daives, disse a jornalistas que o motim começou nodomingo com uma tentativa de fuga. Colchões foram queimados emum dos pavilhões, e a maior parte das mortes foi por asfixia,segundo ele. Na hora do motim, o presídio, que é considerado desegurança média, tinha cerca de 460 presos. A polícia precisou conter alguns familiares dos presos, quechegavam ao local para receber informações sobre seus parentes,em meio a um clima de nervosismo. A rebelião em Santiago del Estero lembra outro motim queresultou na morte de 32 presos dois anos atrás, em BuenosAires. Naquele caso, um tribunal acusou os guardas de teremabandonado os detentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.