Rebelião em presídio do Chile deixa ao menos 26 feridos

Detentos se queixam por não terem sido beneficiados com redução penal nem liberdade condicional

Efe,

24 de dezembro de 2010 | 18h13

SANTIAGO- Ao menos 26 pessoas ficaram feridas em uma rebelião de 300 detentos ocorrida nesta sexta-feira, 24, na prisão de Puente Alto, a cerca de 25 km de Santiago.

 

Os próprios carcereiros disseram a jornalistas que o motim começou às 13h locais, quando os presos da torre 2 atacaram os guardas com objetos pontiagudos.

 

Pedro Hernández, presidente da Associação Nacional de Funcionários Penitenciários (Anfup), declarou à Televisão Nacional que os agentes tiveram de usar balas de festim para controlar a situação.

 

O funcionário detalhou que muitos dos presos estavam alcoolizados e começaram a colocar fogo em suas próprias roupas e pertences, mas não provocaram um incêndio no local.

 

Devido aos incidentes, os guardas tiveram de evacuar cerca de 700 detentos até o ginásio do pátio da penitenciária.

 

Segundo a Rádio Bio Bio, cerca de 25 presos ficaram feridos e tiveram de ser transferidos a diversos hospitais, assim como um guarda, que foi levado a um hospital militar.

 

Os familiares dos detentos que estavam na porta do presídio disseram a jornalistas que os internos se queixam de que vários deles não foram beneficiados com redução de suas penas ou liberdade condicional neste ano.

Tudo o que sabemos sobre:
rebeliãoprisãodetentoChile

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.