Referendo autônomo de Santa Cruz tem aprovação de 85,5%

Segundo junta, 96% dos votos foram apurados; governo boliviano não reconhece estatuto por considerá-lo ilegal

Efe,

08 de maio de 2008 | 22h05

O aprovação do estatuto autônomo na região boliviana de Santa Cruz se consolida com o apoio de 85,5% dos eleitores, com 96,6% dos votos apurados, informou a Corte Eleitoral Departamental nesta quinta-feira, 8. Segundo o último informe da entidade, 463.17 eleitores votaram pelo "sim", enquanto 77.831 votaram no "não", o que representa 14,4%.   Veja também: Morales aceita referendo que pode revogar seu mandato Referendo na Bolívia revela abismo social entre ricos e pobres Fernando Lugo diz que referendo boliviano é inconstitucional   A abstenção da votação do referendo, que o governo do presidente boliviano Evo Morales considera ilegal e separatista, superou 38%, frente a uma participação de 61,7%.   O referendo para ratificar o estatuto de autonomia de Santa Cruz, o Departamento (Estado) mais rico e opositor da Bolívia, foi votado no domingo, em meio a incidentes violentos que deixaram pelo menos 35 feridos.   O governo classificou como "um fracasso" a consulta popular, ao assegurar que metade da população teria rejeitado o estatuto.   Resposta de Chávez   O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, reiterou nesta quinta que não ficará "de braços cruzados" se "o império e suas fichas" tentarem dividir a Bolívia, e se declarou culpado antecipadamente por ingerência nos assuntos internos do país.   "Disse aos amigos presidentes, aos mais próximos, que a Venezuela não ficará de braços cruzados com tudo o que isso implica; declaro-me culpado agora mesmo", declarou, em um ato diante dos ministros de Energia dos países sul-americanos.   Chávez também qualifico como um "improvável" a idéia de que na Bolívia triunfem pretensões que denominou separatistas. Ele assegurou que tais atitudes "podem começar o que Che (Ernesto Guevara) alertou sobre um, dos, três Vietnã."   "Tem que chegar a hora de nós exigirmos respeito" perante estes planos "de ação americana", sustentou, e acrescentou que alguns de seus opositores "já apresentaram plano de secessão em Zulia", estado do noroeste venezuelano.   No domingo, quando se realizava o referendo autônomo, Chávez indicou que "o plano imperialista e de seus lacaios" visaria a suscitar no próximo ano "um conflito interno de grandes proporções" na Venezuela.Ele denunciou que, segundo informações obtidas em Washington e Miami, "os lacaios venezuelanos do império" tentarão separar os Estados do oeste (Zulia, Táchira, Mérida, Barinas e Apure).

Tudo o que sabemos sobre:
BolíviaSanta Cruzreferendoautonomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.