Representante diz que Venezuela está aberta a melhor relação com EUA

O governo da Venezuela está aberto para melhorar as relações problemáticas com Washington e está considerando uma proposta dos EUA para o retorno de agentes antidrogas expulsos do país há oito anos pelo presidente Hugo Chávez, disse uma autoridade.

DANIEL WALLIS, Reuters

20 de janeiro de 2013 | 09h45

Não houve nenhuma palavra de Chávez desde que ele fez uma cirurgia contra o câncer em Cuba, há cinco semanas, de forma que cada movimento que o governo faz na sua ausência está sendo visto como pistas sobre o que a nação produtora de petróleo pode ser em uma era pós-Chávez.

Falando a Telesur, uma rede de TV criada por Chávez para conter a influência da mídia ocidental, o embaixador da Venezuela na Organização dos Estados Americanos (OEA), Roy Chaderton, disse que as relações EUA-Venezuela "não estavam quentes, nem frias. Zero Grau".

Mas ele disse que há esforços para encontrar um terreno comum.

"Há coisas que estão sendo feitas com muita seriedade e muita cautela", disse ele na noite de sábado.

"Nós não somos obrigados a ter relações ruins com governos que têm visões diferentes que o nosso... Espero que o pragmatismo prevaleça nesta iniciativa e cheguemos a um lugar justo de interesse mútuo."

Tudo o que sabemos sobre:
VENEZUELAEUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.