Repressor da ditadura na Argentina escapa da prisão

Julián Corres, de 56 anos, escapou após pedir permissão para ir ao banheiro

EFE

26 de julho de 2008 | 20h38

Um militar reformado argentino que estava detido por crimes de repressão durante a última ditadura fugiu neste sábado, 26, do distrito policial da cidade de Bahía Blanca na qual estava, informaram fontes desta força de segurança.  O ex-tenente-coronel Julián Corres, de 56 anos, escapou após pedir permissão para ir ao banheiro, disseram os porta-vozes. Corres admitiu à Justiça que dirigiu um centro clandestino de detenção durante o último regime militar (1976-1983) em Bahía Blanca, cerca de 700 quilômetros ao sul de Buenos Aires. O ex-militar tinha sido detido no dia 3 de abril após permanecer foragido por um ano e meio. Segundo números oficiais, 18 mil pessoas desapareceram na Argentina na ditadura, embora algumas entidades de direitos humanos aumentem o número para 30 mil.

Tudo o que sabemos sobre:
argentinarepressãofuga

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.