Resgate de mineradores chilenos pode ocorrer em novembro

Especialistas dizem que operários podem ser retirados de mina um mês antes do previsto

Efe

16 de setembro de 2010 | 01h42

COPIAPÓ - Especialistas chilenos afirmaram na quarta-feira, 15, que o resgate dos 33 mineradores soterrados a 700 metros de profundidade em uma jazida no norte do Chile poderia acontecer, na realidade, em novembro, um mês antes do previsto pelas autoridades.

 

Veja também:

especialInfográfico: animação mostra como será o resgate

especialLinha do tempo: os piores acidentes da década

O engenheiro René Aguilar, coordenador de trabalhos de resgate na mina San José, situada cerca de 850 quilômetros ao nordeste de Santiago, disse hoje aos jornalistas "que se as perfurações não tiverem novos tropeços, os operários poderiam estar na superfície no penúltimo mês do ano".

O ministro da Mineração do Chile, Laurence Golborne, também se mostrou "bastante entusiasmado" na semana passada ao indicar que "se as coisas caminharem bem, como até agora", os mineradores poderiam estar com suas famílias em novembro.

O engenheiro Aguilar informou, além disso, que a "Raise Borer Strata 950", que desempenha o "plano A", alcançou na, quarta-feira, os 300 metros de profundidade, dos cerca de 700 metros que deve perfurar até chegar aos 33 trabalhadores, um deles de nacionalidade boliviana.

A perfuradora "Schramm T-130" retomou, nesta quarta-feira pela madrugada, a escavação do chamado "plano B". A máquina, chamada de "milagrosa" pelos parentes dos mineradores, tinha interrompido seus trabalhos na quinta-feira passada devido à ruptura de uma peça.

Aguilar, afirmou que a T-130 perfurou100 metros em menos de 24 horas, palavras que tiraram aplausos dos familiares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.