Rice mostra preocupação à Rússia sobre planos na Geórgia

Secretária de Estado americana discute com Sergei Lavrov decisão russa de apoiar separatistas

Efe,

18 de abril de 2008 | 19h49

A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, conversou nesta sexta-feira, 18, por telefone com seu colega russo Sergei Lavrov para expressar sua preocupação sobre o apoio aberto que Moscou proporciona aos regimes separatistas da Geórgia. Condoleezza indicou que ligou nesta manhã a Lavrov para discutir sobre a decisão russa de formalizar a cooperação econômica e jurídica com as regiões separatistas de Abjasia e Ossétia do Sul.   Veja também: Rússia estreita laços com regiões separatistas da Geórgia   "Estamos muito preocupado e temos comunicado nossa posição ao governo russo", afirmou a secretária à imprensa antes de se reunir com o presidente da Estônia, Toomas Hendrik Ilves. Condoleezza reiterou que o governo está "absolutamente comprometido com a integridade territorial da Geórgia", um aliado americano no Cáucaso.   O governo de Vladimir Putin anunciou que formalizará a cooperação econômica e jurídica com as autoridades dos territórios separatistas pró russo. Putin recomendou ao governo e regiões da Rússia "colaborar com os órgãos de poder de Abjasia e Ossétia do Sul e organizar a cooperação econômica, social, cultural, científica e técnica".   A Geórgia qualificou a decisão russa como uma "tentativa de anexação" dos territórios. Na quinta-feira, Condoleezza Rice ligou ao presidente georgiano, Mijaíl Saakashvili, para tratar da iniciativa russa, e transmitiu a postura americana sobre as medidas que acredita que devem ser tomadas por Tbilisi.   "Consideramos que deve haver um esforço para levar a cabo os planos da Geórgia de tentar tratar o problema com Abjasia e Ossétia do Sul", disse a secretária americana. "Obviamente as pessoas dessas regiões precisam melhorar seu nível de vida. A Geórgia deve proporcionar isso", completou.   Condoleezza não explicou se havia pedido a Lavrov para que o governo russo revogue sua decisão, mas uma declaração oficial do Departamento de Estado, pouco depois de sua aparição diante da imprensa, apontou esta possibilidade. "Pedimos a Rússia que retome seu apoio aos princípios da soberania e integridade territorial da Geórgia e que anule sua ordem de 16 de abril", informou um comunicado de um porta-voz do Departamento.

Tudo o que sabemos sobre:
GeórgiaRússiaEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.