Rivais reconhecem vitória de Lugo nas eleições paraguaias

Com o resultado de mais de 70% das urnas indicando a vitória de ex-bispo, Blanca e Oviedo reconhecem derrota

Reuters,

20 de abril de 2008 | 22h17

A candidata oficial à Presidência paraguaia, Blanca Ovelar reconheceu sua derrota nas eleições desse domingo, 20, para o ex-bispo e candidato esquerdista Fernando Lugo, do Aliança Patriótica para a Mudança (APC). Com mais de metade das urnas apuradas, resultados oficiais apontam a vitória de Lugo, com cerca de nove votos percentuais de vantagem. Lino Oviedo, ex-general e candidato pela União Nacional dos Cidadãos Éticos (Unace), também reconheceu a vitória do ex-bispo. Oviedo contava com 21,8% dos votos. "O tribunal está fazendo a contagem, mas não vai variar, o senhor (Lugo) é o ganhador destas eleições", afirmou Oviedo em entrevista coletiva. "A diferença não quero dizer."   Veja também: Com metade dos votos apurados, Lugo confirma favoritismo     Com 72,58% das urnas apuradas, Lugo tinha 40,52% dos votos, seguido por Blanca, do Partido Colorado, com 31,09%, segundo o Tribunal Superior de Justiça Eleitoral. A confirmação da vitória pode encerrar mais de seis décadas de governo do Partido Colorado.   "Há uns meses nem sonhávamos que isto poderia acontecer... que um grupo de sonhadores políticos poderiam se juntar e colocar o país em primeiro lugar!", disse Lugo, sorridente, durante um breve discurso à imprensa no Hotel Granados Park, no centro da capital.    Foto: Efe "Hoje posso afirmar que os pequenos estão capacitados para vencer. Este é o Paraguai de meus sonhos, o Paraguai de muitas cores de todo tipo de rostos!", afirmou.   O ex-bispo pediu "ao bom Deus que abençoe a nação paraguaia". Além disso, em recado aos paraguaios que migraram para o exterior ao longo dos últimos anos (mais de 10% do total da população do país), afirmou que conta com eles para construir "um novo país."   Até as declarações de Blanca, Lugo havia evitado anunciar a vitória, preferindo denominar-se "virtual vitorioso". Ele pediu que a Justiça Eleitoral "não demore muito" em fornecer os resultados finais.     Na rua Palmas, a principal via comercial do centro da cidade, milhares de pessoas acotovelavam-se para celebrar a vitória do bispo. No meio da multidão, além de bandeiras paraguaias agitavam-se diversos estandartes brasileiros e argentinos.   Tensões   A jornada de tensão no dia da eleição incluiu uma controvertida tentativa de agressão a Lugo, protagonizada por um jovem armado com uma faca camuflada por um adesivo de propaganda eleitoral. Além disso, militantes colorados jogaram gás de pimenta pero do bispo, quando ele passava perto com seus seguidores.   Durante o dia, os candidatos trocaram acusações mútuas de irregularidades. Observadores internacionais denunciaram que militantes do governista Partido Colorado estavam induzindo e assustando eleitores na cidade de Caaguazú.   O principal jornal do país, o ABC Color, também furou as restrições da Justiça Eleitoral ao estampar, em sua capa na edição deste domingo uma grande caricatura dos três candidatos, como se estivessem na linha de chegada de uma exaustiva corrida. Lugo, na charge, passa a linha em primeiro lugar, enquanto que Blanca sua para poder aproximar-se e Oviedo corre desesperado.   Lugo foi o primeiro candidato em votar. Às 7 horas já estava no início da fila para votar no município de Lambaré, na Grande Assunção. O bispo foi acompanhado pela líder das Mães da Praça de Mayo, Hebe de Bonafini, que o segurou pelo braço no trajeto até a mesa de votação.     (Com Ariel Palacios, de O Estado de S. Paulo)  

Tudo o que sabemos sobre:
eleições no Paraguai

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.