Rodovia entre Bolívia e Argentina é bloqueada pelo nono dia

Pecuaristas e camponeses fecham via para protestar contra entrega de terras a indígenas

Agência Estado e Associated Press,

17 Julho 2007 | 20h07

A rodovia mais importante que liga o sul da Bolívia ao norte da Argentina continuava bloqueada nesta terça-feira, 17, pelo nono dia consecutivo, por um protesto de camponeses e pecuaristas contra o governo por causa de um conflito de terras. Cerca de 700 veículos, a maioria caminhões, aguardam a rodovia ser liberada, do lado boliviano da fronteira. No lado argentino, dezenas de caminhões estão parados na povoação de Salvador Maza.   A ministra de Agricultura, Susana Rivero, reuniu-se nesta terça-feira com os manifestantes, aos quais pediu o final do bloqueio e o início de negociações. Em declarações à Rádio Erbol, ela afirmou que o protesto tem "motivações políticas" e é insuflado pelos pecuaristas.   Os camponeses e pecuaristas se opõem a que o governo entregue 75,322 hectares de terras aos índios guaranis, porque isso supostamente afetaria suas propriedades.   "A petição dos guaranis é legítima, mas existe a interferência de interesses políticos dos afetados," disse Rivero.   O dirigente dos pecuaristas, Justo de la Vega, declarou seu mal-estar pelas "mentiras do governo" e disse que também participam do bloqueio da rodovia camponeses que serão afetados pela medida.   Os manifestantes ameaçam tomar duas estações de gás, que enviam o combustível ao Brasil e à Argentina, mas efetivos das forças armadas bolivianas reforçaram a guarda nas instalações desde o sábado passado.

Mais conteúdo sobre:
BolíviaArgentina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.